Tamanho original

Realizações da Gestão 2019-2020

Comunidades

Prefeitura vai avaliar cargos de chefia

 

A prefeitura de Porto Alegre criou, no dia 25 de agosto, por meio da ordem de serviço 009, de 25 de agosto de 2021, um sistema de avaliação dos funcionários que ocupam cargos de chefia na prefeitura. Vão ser analisadas as competências de 320 servidores que cumprem atribuição de direção, coordenação e assessoramento. Ou seja, funcionários que possuem cargos comissionados ou funções gratificadas de nível 7 e 8.

 

A avaliação vai ser coordenada pela Secretaria Municipal de Administração e Patrimônio (SMAP).  A Diretora Geral de Gestão de Pessoas, Elisa Corrêa dos Reis, informou que a iniciativa vai começar pelos cargos mais altos, mas depois deverá ser ampliada para os demais níveis: “É uma inovação dentro da Administração Centralizada, pois não tínhamos essa avaliação. Foi detectado que é necessário desenvolver os servidores que ocupam cargos de confiança e fomentar a meritocracia dentro da Prefeitura”.

 

Elisa, que é administradora e sócia da ACESPA, apontou que o modelo vai gerar mais eficiência no sistema, porque de acordo com os resultados, os servidores terão acompanhamentos por programas de desenvolvimento.

 

De acordo com a Diretora Geral de Gestão de Pessoas da SMAP, adotar a gestão por competência vai “aumentar a transparência do processo, uma vez que facilitará a definição de servidores a serem investidos em postos de confiança pelos resultados de seus desempenhos na Prefeitura”, explicou Elisa.

 

O secretário municipal de Administração e Patrimônio, André Barbosa, ressalta que a ação é parte do mapa estratégico da gestão atual, apresentado em março deste ano. “A ideia é implantar a cultura da meritocracia, uma das metas assumidas pelo prefeito. Para mensurarmos o desempenho dos servidores, começaremos pelos ocupantes de postos de confiança de níveis 7 e 8. É o primeiro ciclo de avaliação por competências, que pretendemos estender a todo funcionalismo. Assim, poderemos descobrir talentos e também identificar as deficiências. Contaremos com a Escola de Gestão para capacitação quando houver necessidade”, explica.


O membro da Câmara de Gestão Pública, do Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul, Sandro Trescastro Bergue, especialista na área de gestão de pessoas, autor do Livro: “Gestão de pessoas em Organizações Públicas”, ed. Educs, considera esse passo fundamental para qualificar a gestão de pessoas na administração pública municipal. “Não existe uma sociedade organizada sem serviço público. Serviço público não é só educação, saúde ou assistência social. Existe toda uma infraestrutura por trás que possibilita um trabalho de excelência desses profissionais. Por isso, é fundamental investir em todas as esferas e não apenas na ponta”, disse. Ele enumerou virtudes sobre processo que vai ser implantado:


1)   Valorização do servidor 

A importância de olhar a gestão por competência. A capacidade que as pessoas têm de exercer funções de chefia.

 

2)   Modelo do projeto 

Desloca a ênfase da avaliação de uma perspectiva punitiva para uma perspectiva de desenvolvimento das pessoas. A avaliação é uma ferramenta para identificar lacunas e depois produzir planos de desenvolvimento individual.

 

3)   Começa por avaliar lideranças 

Inverte a lógica convencional que pensa a avaliação de desempenho apenas focada no servidor público. O município avança para começar o sistema pelos gestores, que são os responsáveis por gerenciar equipes e definir ações.


 4)    Escola de gestão pública 

Capacitar, educar e oferecer oportunidades de aprendizagem constante é fundamental na gestão pública. Uma das coisas que diferencia a gestão pública de outras áreas afins é que ela trabalha fundamentalmente com o conhecimento.

 

5)   Planos de desenvolvimento 

Não ver a avaliação como um evento isolado, mas vê-la como parte de um processo que tenha como finalidade desenvolver a competência de lideranças. Conseguir identificar possíveis falhas ou méritos é fundamental para ampliar a eficiência do sistema.

 

6)   Informa as competências

Nós vamos ver que na ordem de serviço são colocadas algumas das competências, por exemplo, foco em resultado. O que se espera é que as lideranças tenham ações alicerçadas numa visão estratégica, façam bom uso da comunicação e resolvam problemas baseados em evidências. Outra questão interessante é a promoção da mentalidade digital para desenvolver o senso de empreender internamente.

 

A prefeitura pretende realizar as avaliações entre os dias 4 e 31 de outubro. Os resultados vão ser divulgados num sistema que ainda está sendo desenvolvido.