Comunidades



Colegas,
 Estamos em situação de cuidado em relação à Dengue em Porto Alegre. 
Para o trabalho desenvolvido pela Vigilância em Saúde/Secretaria Municipal de Saúde é de extrema importância que pessoas com sintomas da doença procurem um serviço de saúde. Desta forma se faz a notificação e confirmação dos casos e um rastreamento nos locais de risco. 
Lembramos que a prevenção é a melhor forma de evitarmos uma epidemia. Por isso, tenha cuidado com os focos de água parada em sua casa e em seu local de trabalho. http://www2.portoalegre.rs.gov.br/cgvs/default.php?p_secao=30 

 O que é Dengue? 
A Dengue é uma doença causada por um vírus e é transmitida somente pela picada do mosquito Aedes Aegypti infectado. 
 Quais os sintomas? 
Febre alta, dor de cabeça, dor no corpo e no fundo dos olhos, dor nas articulações, prostação e manchas avermelhadas na pele. Podem ainda ser observados anorexia, náuseas, vômitos e diarréia. 
 Como é o tratamento? 
Não existe vacina para prevenir a doença e nem medicação específica para tratar a infecção. 
 Em caso de suspeita, é fundamental procurar por atendimento médico. Todos os casos suspeitos são, obrigatoriamente, notificados à Coordenadoria de Vigilância em Saúde. 
 Para aliviar os sintomas é necessário fazer repouso e beber bastante líquido. Importante: não utilizar medicamentos por conta própria e, principalmente, evitar medicamentos que contenham ácido acetil-salicílico (Aspirina, AAS, Melhoral etc.). 
 Quais são os hábitos do mosquito? 
O mosquito é pequeno e tem cor escura com manchas brancas, costuma picar durante o dia, principalmente no início da manhã e no final da tarde. 
 Como evitar a doença? 
A melhor forma de evitar a doença é não deixar que o mosquito se prolifere.
 Quais as medidas para eliminar o foco do mosquito?
 Conferir se dentro ou fora da casa existe algum objeto com água limpa e parada que possa se transformar em criadouro do mosquito. Também é importante cuidar do local de trabalho e da comunidade onde vive. 
 O que fazer?
 · Pratos de Vasos de plantas: se possível, eliminar os pratinhos, ou então acrescentar terra até a borda. · Bromélias: eliminar ou lavar com água duas vezes na semana. 
· Ralos de chuva: colocar tela milimétrica. 
· Pneus velhos: guardar secos em local coberto. 
· Caixas d’água: manter tampadas e limpas. 
· Lixo: manter as lixeiras sempre tampadas, colocar o lixo em sacos plásticos e não jogar lixo em terrenos baldios. 
· Piscinas: efetuar o tratamento adequado para banho. Em período sem uso, manter o tratamento semanal da água. 
· Vasos de planta com água: se possível substituir a água por areia, terra ou gel. Trocar a água duas vezes por semana, lavando a parte interna do vaso, caule e raízes com água corrente. 
· Calhas de água da chuva: verificar se não estão entupidas e remover folhas ou outros materiais que possam impedir o escoamento da água. 
· Cacos de vidros em muros: colocar cimento em todos os que possam acumular água. 
· Vasilhame para água de animais domésticos: trocar a água diariamente e lavar com escova, pelo menos duas vezes por semana. 
· Garrafas de vidro, pet, baldes ou bacias: guardar vazios, tampados ou com a boca para baixo. 
· Ralos de esgoto e para água da chuva em desuso: manter com tampa. 
· Bandejas de geladeira e ar-condicionado: lavar a bandeja de geladeira duas vezes por semana. Colocar a mangueira ou furar a bandeja do aparelho de ar-condicionado. 
· Também ficar atento para: vasos sanitários sem uso diário; caixa de descarga sem tampa; lajes; tonéis, bombonas e tambores; copo de água para santo; armadilha para formigas do tipo vasilhame com água; plástico ou lona para cobrir equipamentos, peças e outros materiais; terreno baldio nas proximidades com depósitos de lixo, entulhos e outros recipientes que podem acumular água. 
 Para denúncia de acúmulo de lixo em terreno baldio, o DMLU está com Serviço de Fiscalização: 3289.6975.